Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Não há sol...não há mar...não há verão...

Sexta-feira, 31.07.09

 

Não há em mim a euforia da luminosidade esperada...

não há a calma das ondas do mar...nem a espuma fresca perfumada a banhar-me os pés...

não há azul...não há fascínio

nem lua cintilante...nem me ofuscam as estrelas repetidamente procuradas...

 

E porque não há fascínio

permito-me transcrever uma passagem de um pequeno livro de Pedro Paixão, "Amor portátil".

 

"Uma pessoa não pode viver a vida de outra.

Por mais perto que esteja, por mais necessidade que haja, por mais vontade que tenha. Uma pessoa nasce separada de todas as outras, vive uma vida que é só dela e acaba por morrer no minuto de uma hora que lhe é destinada.

Não deixa de ser estranho apesar de não poder ser de outra maneira. E duas pessoas sozinhas não fazem uma pessoa acompanhada. Pelo contrário: a solidão de uma potencia a outra, como uma lupa, até ao fracasso. O fracasso aqui significa a desistência, o abandono, a busca de outra coisa..."

 

Ao transcrever este texto de Pedro Paixão não posso deixar de o fazer como um desabafo do que sinto...mas não sinto desespero ou tristeza, mas antes a incapacidade de contrariar alguma solidão que de repente me inunda sem a ela ter recorrido por necessidade...

tenho em mim um silêncio incompreensível...não o entendendo nem sei onde o encontrei...mas parece que o adoptei...

não há sol...não há mar...não há Verão...

apenas o silêncio da multidão que não olho...

não escuto...

Um destes dias despeço-me deste silêncio e mergulho no sol

no mar e vagueio pela multidão ouvindo e vendo o colorido próprio dos sonhadores...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 02:01

Medir o pulso à vida no dia 8 de Julho de 2009 - 3

Segunda-feira, 13.07.09

 

Na memória não vislumbro registo do nosso primeiro encontro

vasculho...

remexo...

caminho na sombra de cantos para já irreconhecíveis

tacteio os puxadores das gavetas...

e sinto um odor conhecido...adocicado...alfazema

ao longe avisto uma ténue luzinha

que me indica um caminho...parece-me familiar

encontro-me agora com a luz trémula envergonhada

ou esquecida?

reconheço um berço e estou a embala-lo

tão suavemente...

estás lá...tão adormecido

e sorrateiramente rapino-te a chupeta

escondo-me a saciar esse prazer

só há esta chupeta

acordas e os teus gritos de falta de algo acordam-me destas lembranças...

Terá sido o nosso primeiro encontro...não sei

mas lembro-me deste

Afinal meu irmão já partilhávamos afectos

chupeta... olhares

mais tarde as brincadeiras

a tua bicicleta...a minha boneca

e assim continuamos esta partilha constante das nossas vidas

dividindo tristezas e alegrias

tudo o que a vida nos vai oferecendo...

e sendo vida

dá e tira numa dança incerta

descompassada...

mas o afecto

o amor

que sentimos um pelo outro equilibra o caminho de montanhas e planícies que atravessamos e continuaremos o nosso rumo...

Lembrei-me agora irmão que somos tão chegadinhos em idade que devíamos ter tido duas chupetas... a memória é o museu dos meus afectos...

Adoro-te irmão!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 01:59

Medir o pulso à vida no dia 8 de Julho de 2009 - 2

Domingo, 12.07.09

 

És a parte mais pura

mais profunda e bela da minha existência...

em ti tens ainda o menino que adocei de afagos...

hoje és o homem que cresceu com o carácter forte e inabalável

de um amor incondicional...

és o elo mais forte na cadeia dos meus sentimentos...do meu amor.

O de mãe!

 

(para ti, Rui)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 00:02

Medir o pulso à vida no dia 8 de julho de 2009 -1

Sexta-feira, 10.07.09

 

Penetrei em mim mesma, liguei os fios condutores da alma ao coração e medi o pulso à vida...

 

"És a mãe, a mulher, a areia, a água, o cimento. A força! Assim,  construíste o pilar sólido, firme inabalável em todas as tempestades...que tentamos a todo custo, ainda hoje manter tão rico legado que nos incutiste...e nem a ver-te lentamente a perder o sorriso, o vigor de outrora, nos demoves de continuarmos a pensar, que o teu amor, a tua dedicação, a tua presença constante te roubou a tua própria vida, de a viveres...anulando os teus sonhos  acalentando os nossos...pintaste-nos a vida de muitas cores...mas a tua foi a preto e branco...tu sabes como tentamos todos os dias dar-te alguma cor...mas teimas em ver a vida cinzenta. Ajuda-nos a colori-la como fizeste com a nossa...deixa-nos fazer algo por ti!"

Obrigada mãe por me teres dado vida no dia 08/07/57.

 

(escrevi o que também vai no coração do meu irmão)

 

Continua...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 02:02

Momentos...

Quinta-feira, 02.07.09

quantos momentos

só nossos...mesmo nossos

temos por dia...

e em muitos surgem súbitas palpitações

angústias...

solidão

 

outros são cristais coloridos que nos ofuscam os pensamentos

e de tanto brilho...inundam-nos de uma confusão estonteante

entre o prazer e a felicidade...

 

Momentos são

ilusão

desilusão

amor

desamor

mas são os nossos momentos... momentos

que nos enlaçam em nós mesmos...como hera em muro forte...

e permitem eliminar dúvidas do nosso espírito...

nos nossos momentos devemos aprender a viver o presente...

sem a nuvem densa dos desgostos e remorsos do passado...

O futuro está sempre depois...serão outros momentos...

permitamos a cada um de nós viver o presente...o momento

 

 

"O futuro nunca é senão o presente a pôr por ordem.

Não podes prevê-lo, podes simplesmente permiti-lo."

 

Saint-Exupéry

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por dolce_vita às 02:13





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2009

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031